Última hora

Última hora

Comunidade negra-norte-america mobilizada para o voto

Em leitura:

Comunidade negra-norte-america mobilizada para o voto

Tamanho do texto Aa Aa

A comunidade negra norte-americana está, mais do que nunca, mobilizada para ir às urnas no dia 4 de Novembro.
Numa igreja metodista em Washington explica-se que este é um dos momentos mais esperados pelos afro-americanos, que vão romper com a tradição de abstencionismo que os caracteriza. Em 2004, só 56% deles votaram.
A socióloga Daniella Gibbs Leger interpreta:

“Vai haver uma melhor participação da população afro-americana porque Barack Obama é afro-americano. É difícil negar que há um certo orgulho na comunidade “.

A comunidade negra não representa mais do que 12% do eleitorado, mas 90% dela afirma querer votar em Obama.
Como explica o pastor Robert E. Slade:

“Estou orgulhoso, feliz, era mais do que tempo de termos um dirigente afro-americano. Mas não vejo Barack Obama apenas como afro-americano. vejo-o como alguém inteligente, alguém que merece ser presidente”.

O candidato democrata conseguiu atrair o voto negro, evitando apresentar-se como o candidato dos negros. E quando a comunidade afro-americana faz algumas críticas, Obama gere sempre os problemas.

“Para resolver os problemas do país é preciso estarmos todos unidos: negros, brancos, hispânicos, asiáticos, jovens, idosos, deficientes, gays, heterosexuais. esta é a nossa agenda.”

Mas para mais de 20% dos eleitores brancos, a identidade racial dos candidatos determina a orientação do voto. É o caso dos eleitores democratas do Oklahoma que não vão votar em Obama. Estas sao algumas frases ouvidas:

“Nan…”
“E porquê?”
“Porque não gosto de negros!”
“Muita gente não vota em Obama porque é negro e porque pensam que é muçulmano.”

Uma coisa é certa: Obama foi o primeiro candidato negro a conseguir comunicar facilmente com negros e brancos.