Última hora

Em leitura:

Madonna de Rafael está refeita


le mag

Madonna de Rafael está refeita

Em parceria com

Depois de nove anos de estudo cuidadoso e restauro, uma das mais importantes peças do Renascimento italiano está de novo, de regresso ao público. Trata-se de a Madonna del Cardellino, um óleo de Rafael, pintado quando o pintor tinha apenas 23 anos, em 1506, foi reconstruído

Foi um dos presentes de casamento de Lorenzo Nasi.

Há 10 anos atrás, o Opificio Delle Pietre Dure, em Florença, um dos ateliers de restauro mais pretigiados de Itália, encarregou-se da recuperação.

Patrizia Riitano foi a responsável:

“A dificuldade com este quadro, quando foi submetido a um trabalho de restauro, foi o facto de ter estado muito tempo fechado, quando foi realmente pintado. Isso criou problemas técnicos, no sentido em que os dissolventes podiam riscar o trabalho original. Como consequência, no princípio, tivemos de distinguir o primeiro restauro, do trabalho original e, em segundo, intervir sobre o primeiro restauro do quadro, trabalhando com os mesmos materiais, as mesmas cores e os mesmos processos, usados no original”.

O resultado foi excelente.Passados séculos, é possível ver as mesmas cores usadas por Rafael, o mesmo brilho.

“A história deste quadro está marcada por desastres como este que Vasari conta: em 1547, a casa da família Nasi, onde estava o quadro, ruiu e o quadro ficou reduzido a bocados. Isto foi provado por exames radiológicos. O filho do proprietário é que decidiu tentar e foi de novo fixado”, recoda Amarco Ciatti, director do atelier.

Agora, foram quase 10 anos de trabalho para Patrizia Ritano que procurou fracturas, traços que perderam a nitidez, manchas de toda a ordem.

“Quando terminamos, foi uma emoção muito forte. Tinhamos feito um grande trabalho técnico. Quando um quadro fica nas nossas mão todos os dias, começa a fazer parte das nossas vidas”.

Este mês, Madonna de Rafael voltará a ser exposto, no Palazo Medici, em Florença. Depois, regressará ao seu lugar, na Galeria Uffizi.

Saiba mais:

Os nossos destaques

Artigo seguinte

le mag

Exposição de Leibovitz em Londres