Última hora

Última hora

Bruxelas propõe usar fundos de coesão para lutar contra a crise

Em leitura:

Bruxelas propõe usar fundos de coesão para lutar contra a crise

Tamanho do texto Aa Aa

Em plena crise económica, a Comissão Europeia quer evitar a todo o custo o aumento do desemprego.

Numa reunião extraordinária em Bruxelas, Durão Barroso e o Comissário Europeu da Economia e Assuntos Monetários, Joaquin Almunia, avançaram com uma proposta: adiantar o pagamento dos fundos de coesão do período 2007-2013, para minimizar o impacto da crise nos cidadãos.

Durão Barroso anunciou que a Comissão pretende manter o desemprego “no mínimo e apoiar aqueles que perderam os empregos”. “Vamos ver como poderemos reforçar a efectividade do Fundo europeu de Ajustamento à Globalizaçâo. Queremos encorajar os Estados-membros a reprogramar fundos no quadro do fundo social europeu, para conseguir que os desempregados tenham uma ocupação outra vez”.

O presidente do executivo comunitário realçou que a política ambiental pode ser a chave para sair da crise, visto que o aumento da eficiência energética pode oferecer novas oportunidades às empresas.

O Comissário dos Assuntos Económicos explica que o pacto de estabilidade “serve para poupar nos tempos de abundância e ser mais flexível nos tempos de crise, como no momento actual”. “Graças à aplicação do pacto, a União Europeia e a zona euro atingiram um défice de 1% do PIB em 2007. Os Estados-membros podem usar alguma margem de manobra daquilo que alcançaram”.

A UE não vai colocar dinheiro novo, mas sim aproveitar as poupanças dos fundos para relançar, por exemplo, o poder de compra dos consumidores. Uma proposta que vai ser estudada com mais profundidade, no próximo dia 26 de Novembro, numa mini-cimeira com o objectivo de salvar a economia europeia.