Última hora

Última hora

EUA: Candidatos deixam de fora questões sociais

Em leitura:

EUA: Candidatos deixam de fora questões sociais

Tamanho do texto Aa Aa

Em plena crise financeira e económica, um tema que toca profundamente a classe média norte-americana, as questões sociais foram postas de parte nos debates e campanha dos candidatos à Casa Branca. Num país conhecido por ter um sistema de saúde deficiente e elitista, democratas e republicanos não apresentaram, até agora, uma revolução no sector.

“Nenhum dos dois é a favor da introdução de um sistema de saúde público, como existe hoje em dia na Europa. Por outro lado, se virmos o orçamento dos Estados Unidos, o orçamento federal de 2008, 47 ou 48% das despesas vão para os programas de segurança social”, verifica o analista Herman Mathys.

As despesas de saúde chegam a atingir somas exorbitantes e têm tendência a aumentar. Deverão chegar aos 4 mil milhões de dólares em 2017, quase o dobro do valor actual. Mais de 48 milhões de americanos não estão cobertos por seguros de saúde, um facto que foi utiilizado por Michael Moore, no documentário Sicko, que coloca a nú as desigualdades e falhas do sistema.

Existem dois programas de saúde nos Estados Unidos: a Medicare, para os idosos e a Medicaid para os mais pobres.
Todos os outros devem recorrer ao sistema privado. 66% dos assalariados beneficiam de seguros das empresas. Mas se o trabalhador perde o emprego, perde também o seguro.

Para além disto, as prestações são cada vez mais caras. Daí a proposta de John McCain, que pretende uma redução dos custos. O candidato republicano quer que os cuidados mais acessíveis não tenham intervenção estatal, abrindo o mercado dos seguros de saúde e permitindo a cada americano a escolha da sua seguradora.
Por outro ldo, o candidato democrata preconiza uma cobertura universal, mas obrigatória apenas para as crianças. Obama quer ainda que as médias e grandes empresas ofereçam seguros de saúde.

Outra questão social ignorada foi a educação. Neste ponto, os dois candidatos concordam com a necessidade de aumentar o valor das bolsas, para que mais estudantes possam ter acesso à universidade. Obama defende o aumento dos salários dos professores. McCain quer implementar um sistema de mérito.

Nos temas delicados como o aborto ou o casamento gay, as posições são radicalmente opostas.
O democrata defende o direito ao aborto e uma união civil para os homossexuais. O republicano é contra a interrupção voluntária da gravidez e qualquer tipo de união gay.