Última hora

Última hora

Presidentes do Congo e do Rwanda dispostos ao diálogo

Em leitura:

Presidentes do Congo e do Rwanda dispostos ao diálogo

Tamanho do texto Aa Aa

As armas calaram-se. A diplomacia dá os primeiros passos para tentar resolver o conflito na região do Kivu Norte na República Democrática do Congo, mas isso não contribui ainda para melhorar a situação das populações.

Milhares de pessoas vivem da ajuda humanitária, depois de terem sido obrigadas a abandonar tudo.

O Comissário Europeu para a Ajuda Humanitária, Louis Michel, encontrou-se na sexta-feira com os presidentes do Congo e do Rwanda e trouxe do encontro uma mensagem positiva:

“Depois de ouvir o presidente Kabila, depois de ouvir o presidente Kagame, após ter ouvido um certo número de actores, tenho a sensação de que há uma verdadeira vontade de fazer convergir as ideias e avançar para o diálogo. Penso que é apenas com o diálogo e não com a opção militar que se encontrará uma solução sustentável”.

A rebelião na fronteira entre o Congo e o Rwanda começou há três anos. Um acordo tinha sido alcançado em Janeiro passado, mas os combates foram retomados no mês de Agosto, tendo-se intensificado no final de Outubro, quando os rebeldes decidiram tomar de assalto a cidade de Goma, capital da província do Norte Kivu.

Uma mulher conta que foi obrigada a fugir de casa e, agora que está de volta, constata que lhe foram roubados todos os seus bens.

Neste momento, está nas mãos da ONU a convocação da cimeira internacional da paz, com a presença dos presidentes congolês e ruandês e de todos os líderes da região.