Última hora

Última hora

Um europeu morre, por hora, de 'overdose'

Em leitura:

Um europeu morre, por hora, de 'overdose'

Tamanho do texto Aa Aa

O consumo de opiáceos em geral e de heroína em particular preocupa o Observatório Europeu das Drogas e da Toxicodependência. No seu relatório anual, o organismo, com sede em Lisboa, revela a abundância destas substâncias no mercado europeu.

A produção mundial de ópio, inflacionada pela do Afeganistão, aumentou 34% no ano passado. E as apreensões de heroína também subiram, enquanto o preço desta droga continua a descer. A consequência, explica Wolfgang Götz, director do Observatório, é que há cada vez mais novos consumidores: “Nos últimos anos, assistimos a pequenas melhorias. Mas agora, tudo indica que estamos perante uma estagnação. Os dados levam-nos a concluir que a situação não vai melhorar e que, em certos aspectos, pode mesmo piorar. E penso que esta é uma área na qual devemos estar vigilantes e preparados.”

A droga mais consumida na Europa, continua, no entanto, a ser a cannabis: 22% dos europeus já a consumiram pelo menos uma vez na vida. Segue-se a cocaína, com tendência para aumentar.

O Observatório alerta também para as politoxicodependências e para a mistura drogas-álcool, potencialmente perigosas.

A terminar um número: um europeu morre, por hora, de ‘overdose’.