Última hora

Última hora

Dinheiro mais barato nas economias europeias

Em leitura:

Dinheiro mais barato nas economias europeias

Tamanho do texto Aa Aa

O dinheiro está mais barato nas principais economias europeias depois de o Banco Central Europeu e de o Banco de Inglaterra terem procedido a cortes nas suas taxas de referência.

O conselho de governadores do BCE, que define a política monetária da zona euro decidiu na reunião desta quinta-feira em Frankfurt reduzir a sua taxa directora de 50 pontos base para 3,25%, seguindo as previsões dos analistas.

Numa curta análise à actual situação económica, o presidente do Banco Central Europeu, Jean-Claude Trichet, afirmou que “as previsões sobre a estabilidade dos preços melhoraram. Estima-se que as taxas de inflação vão continuar a cair nos próximos meses. A intensificação e a expansão da crise nos mercados financeiros estão a afectar a procura na zona euro de forma mais prolongada.”

Esta é a segunda vez que o BCE procede a um corte nas suas taxas de juro em menos de um mês. A última vez foi a 08 de Outubro, numa operação concertada com cinco outros bancos centrais, entre os quais o Bank of England (BoE).

O banco central inglês anunciou minutos antes o maior corte nas suas taxas de juro desde 1981.
Trata-se de uma redução de 150 pontos base passando a taxa directora do BoE de 4,5% para 3%, o seu nível mais baixo desde 1951.

Com excepção para a China, a zona euro continua a ter o dinheiro mais caro. Nos Estados Unidos a FED reduziu recentemente a sua taxa de juro para o nível histórico de 1%.

Para já, apenas as instituições bancárias beneficiam com estas medidas. A banca vai tentar recuperar parte das perdas provocadas pela crise antes de deixar o consumidor beneficiar com estes cortes para relançar a economia.

As bolsas europeias não reagiram aos anúncios dos bancos centrais.