Última hora

Última hora

Centenas de pessoas participam nos funerais dos responsáveis pelos atentados de Bali

Em leitura:

Centenas de pessoas participam nos funerais dos responsáveis pelos atentados de Bali

Tamanho do texto Aa Aa

Duas centenas de simpatizantes participaram, este domingo, no enterro dos terroristas islamitas responsáveis pelos atentados de Bali. 
 
Os três indonésios foram executados depois de provada a sua participação no atentado ocorrido na ilha Indonésia, em 2002, no qual morreram 88 turistas australianos, 28 britânicos e oito norte-americanos.
 
Os condenados confessaram terem planeado e executado os atentados e não mostraram arrependimento. Durante o julgamento afirmaram que pretendiam vingar a morte de muçulmanos nas guerras conduzidas pelos Estados Unidos no Afeganistão e noutros locais.
 
Os responsáveis pelo crime foram condenados à pena capital. Erik de Haart, sobrevivente deste ataque bombista, acredita que foi a melhor solução. Afirma que não é a favor da pena de morte mas adianta que, neste caso, era necessária. Haart acrescenta que na prisão os três terroristas tinham uma vida melhor que aquela que tinham no exterior.
 
Alguns familiares das vítimas australianas mostraram alívio após a execução dos autores do massacre. Brian Deegan, pai de uma dessas vítimas não concorda. Deegan é contra a pena de morte e afirma que ela não trará o seu filho de volta. 
 
Os atentados de 12 de Outubro de 2002, cometidos por elementos de um grupo ligado à Al-Qaeda, mataram 202 pessoas.
 
Numa noite de Sábado, em Bali, explodiram duas bombas. A primeira no interior de uma casa de diversão nocturna, a segunda num carro estacionado à porta de outro estabelecimento.
 
Samudra, Nurhasyim e Ghufron foram executados nas imediações da prisão de alta de segurança da ilha de Nusakambangan.