Última hora

Última hora

Países emergentes reclamam maior participação no sistema financeiro global

Em leitura:

Países emergentes reclamam maior participação no sistema financeiro global

Tamanho do texto Aa Aa

A poucos dias da cimeira do G20 em Washington, levantam-se as vozes dos países emergentes.

Na reunião dos ministros das Finanças e dos governadores dos Bancos Centrais, em São Paulo, o presidente brasileiro pediu uma séria reforma do sistema financeiro, bem como uma maior participação das economias em desenvolvimento nas decisões financeiras mundiais. Lula da Silva deixou bem claro que os países conhecidos como BRIC (Brasil, Rússia, Índia e China) não querem ter um papel secundário no teatro financeiro global.

O presidente do Banco Mundial concorda com o presidente brasileiro, mas diz que esta não é única modificação a fazer. “Tem-se falado de uma mudança do G7 e do G8 para um G20. Já falei da criação de um grupo de trabalho que inclua países como a China, Brasil, Rússia, Índia e México, mas estas não são as únicas alterações a fazer no sistema”, disse Robert Zoellick.

Uma dessas mudanças passa pelo papel do FMI no na ordem financeira mundial. Os países emergentes reclamam uma reforma do Fundo Monetário Internacional, com vista ao equilíbrio entre os países mais industrializados e as economias em desenvolvimento.