Última hora

Última hora

Quinze não foram invadidos pelo "canalizador polaco"

Em leitura:

Quinze não foram invadidos pelo "canalizador polaco"

Tamanho do texto Aa Aa

O “canalizador polaco” não invadiu o mercado de trabalho dos antigos 15 Estados membros. Este é o resultado de uma análise levada a cabo pela Comissão Europeia. Quatro anos após o grande alargamento, Bruxelas demonstra que eram infundados, os receios de que os trabalhadores dos antigos países do bloco soviético invadissem o resto da União.

Reino Unido e Irlanda, que nunca fecharam as portas aos trabalhadores do Leste, têm hoje respectivamente 1,2% e 5% de trabalhadores dos novos Estados membros entre a sua população activa.

Os cidadãos da Bulgária e da Roménia, países que aderiram o ano passado, preferem trabalhar a Espanha e a Itália. Mas, no total, apenas 230 romenos e búlgaros imigraram para outro Estado membro desde a adesão.

A Comissão Europeia sublinha ainda que estes trabalhadores não provocaram uma baixa dos salários nacionais. E que, pelo contrário, uma tal mobilidade teve um impacto positivo no crescimento económico.

Mas Alemanha, Áustria, Bélgica e Dinamarca ainda mantém restrições à entrada de trabalhadores dos Estados membros do Leste da União, no seu mercado de trabalho.