Última hora

Última hora

UE lança em Dezembro missão antipirataria no Golfo de Aden

Em leitura:

UE lança em Dezembro missão antipirataria no Golfo de Aden

Tamanho do texto Aa Aa

A recrudescência da pirataria marítima obriga a comunidade internacional a “reforçar fileiras”. O ministro francês da Defesa anunciou que a operação naval da União Europeia contra os piratas somalis no Golfo de Aden vai começar a 8 de Dezembro.

A frota europeia deverá escoltar navios de carga e embarcações do Programa Alimentar Mundial, bem como patrulhar, com recurso a assistência aérea, umas águas consideradas como as mais perigosas do Mundo.

A missão está integrada na Política Europeia de Segurança e Defesa e será liderada pela Grã-Bretanha. O chefe da diplomacia britânica, David Miliband, explicou que serão usados “recursos militares e navais europeus para perturbar e combater a epidemia da pirataria no Golfo de Aden”.

A actividade dos piratas somalis registou níveis recorde desde o início do ano. Segundo a Agência Marítima Internacional, foram atacados cerca de cem navios ao largo da Somália, 17 dos quais continuam nas mãos dos piratas, juntamente com 250 tripulantes.

Para Arthur Bowring, da Associação de Armadores de Hong Kong, o problema reside na “falta de lei” na costa somali. Bowring diz que “há muito pouco policiamento, já que o Governo não funciona correctamente. Os grupos de piratas podem operar numa quase total impunidade”.

A eficácia das forças internacionais no terreno é também afectada pela imensidade da área a cobrir, pela cada vez maior mobilidade dos piratas, pelas dificuldades jurídicas ligadas à detenção de sequestradores e pelos riscos do uso da força contra navios capturados.