Última hora

Última hora

Relatos de caos e medo entre turistas que escaparam a ataques em Bombaim

Em leitura:

Relatos de caos e medo entre turistas que escaparam a ataques em Bombaim

Tamanho do texto Aa Aa

Continuam a chegar aos países de origem dezenas de cidadãos ocidentais que viveram de perto os ataques em Bombaim.

Na base aérea de Torrejón, em Madrid, mais de meia centena de espanhóis foram recebidos pelo chefe da diplomacia Miguel Angel Moratinos.

Entre a alegria do reencontro com a família, ficam relatos de caos e terror. Esta jovem explica que “quando chegou ao hotel Taj Mahal, viu o fumo e fugiu rapidamente para outro hotel, onde permaneceu escondida”. Acrescenta que “as ruas estavam desertas e nem conseguia ligar-se à internet”. Acabou por “contactar a embaixada, que lhe explicou que tinha organizado um vôo para repatriar os cidadãos espanhóis”.

Muitos turistas relatam momentos de grande confusão após os ataques à capital económica da Índia.

Entre os repatriados a bordo do avião enviado pelo Governo espanhol, este homem diz que “quando chegou ao aeroporto em Bombaim, estava cheio de pessoas de diferentes países, muitos sem saberem bem o que se estava a passar”. Acrescenta que “foi um privilégio ter um avião do seu país à espera dele”.

A cena repete-se noutros aeroportos europeus. Entre um grupo de turistas alemães que regressaram ontem a Frankfurt, há quem critique a actuação das forças de segurança indianas.

Este cidadão germânico explica que “antes dos ataques passou perto dos hotéis afectados e observou vários polícias sentados perto das entradas”. Mas acrescenta que “não fazia diferença se estavam ou não à frente dos hotéis” porque, na sua opinião, “não fizeram um bom trabalho”.

Hoje a meio do dia deverá chegar a Paris um outro avião fretado pela França para transportar 77 estrangeiros de vários países que escaparam aos atentados.