Última hora

Última hora

Polícia recusa-se a evacuar aeroporto de Banguecoque

Em leitura:

Polícia recusa-se a evacuar aeroporto de Banguecoque

Tamanho do texto Aa Aa

Ninguém sabe como vai terminar a crise política na Tailândia. Os manifestantes anti-governo bloqueiam os dois principais aeroportos de Banguecoque há quatro dias.

Este sábado, a polícia recusou-se a evacuar o local pela força, à espera de uma solução negociada para o braço-de-ferro entre o executivo e a Aliança do Povo para a Democracia, uma coligação de vários grupos da oposição.

Há dois dias, o primeiro ministro, Somchai Wongsawat, declarou o estado de emergência e, ontem, demitiu o chefe da polícia nacional, suscitando rumores de que se preparava para usar a força contra os manifestantes.

Numa intervenção televisiva, o chefe do executivo garantiu que não usaria a violência mas advertiu que os protestos prejudicam fortemente a economia do país.

Os manifestantes ocupam o aeroporto desde terça-feira. As ligações aéreas estão cortadas. Milhares de turistas estão retidos na capital tailandesa.

A oposição acusa o primeiro-ministro, eleito democraticamente, de ser um peão do anterior líder, Thaksin Shinawatra, que se encontra no exílio.

O actual impasse aumenta os receios de um novo golpe militar.

Um cenário negado pelas altas patentes militares mas que não pode ser descartado num país que viveu 18 glopes de Estado em 76 anos.