Última hora

Última hora

Maiores fabricantes de armamento recusam convenção de Oslo

Em leitura:

Maiores fabricantes de armamento recusam convenção de Oslo

Tamanho do texto Aa Aa

Representantes diplomáticos de mais de uma centena de países, entre os quais Portugal, assinaram hoje em Oslo uma convenção para banir as bombas de fragmentação.

Um tratado negociado em Dublin em Maio e que visa interditar a produção, utilização , armazenamento e comercialização daquele tipo de armamento.

A assinatura do acordo contou com dirigentes de alguns países recentemente tocados por conflitos.

No exterior do edifício onde se reuniram os ministros dos negócios estrangeiros dos países signatários, juntaram-se militantes pacifistas.

Fora do tratado ficam, como habitualmente, os grandes produtores e utilizadores daquele tipo de munições, ou seja os Estados Unidos, Rússia, China, Paquistão e Israel.

Segundo a organização Handicap international, desde 1965, as bombas de fragmentação mataram ou mutilaram perto de 100 mil pessoas, na sua emagadora maioria civis.