Última hora

Última hora

Fábricas automóveis fazem paragens

Em leitura:

Fábricas automóveis fazem paragens

Tamanho do texto Aa Aa

As férias de Natal, nas fábricas de automóveis um pouco por todo a Europa, vão ser mais longas este ano. O sector está em crise, com as vendas em queda, e as fábricas vão ter de fechar por mais tempo.

Os empregados da Daimler, na Alemanha, juntaram-se numa mega-reunião onde a administração lhes explicou que iria haver várias paragens no trabalho e alguns fechos temporários.

“A longo prazo, alguns destes empregados vão provavelmente ser despedidos. Também não deve haver aumentos de salário tão cedo”, diz um perito no sector automóvel.

O grupo está a sofrer com a crise. As vendas da Mercedes caíram um quarto, no mês passado. Existe um acordo entre a administração e os sindicatos, que impede despedimentos no grupo até 2011.

Novembro foi um mês terrível para os grupos automóveis. A crise financeira causou uma crise na procura. Só em Espanha, as venda de carros caíram para metade. Países como o Reino Unido, a Itália, a Alemanha ou a França estão também a sofrer.

França, onde vai haver também paragens de trabalho. A fábrica da Peugeot-Citroen em Sochaux, no Nordeste do país, vai ficar fechada durante cinco semanas.

Os trabalhadores estão conformados com a decisão: “Não temos escolha. Ficamos sem trabalho durante três semanas, mas estamos em situação melhor que outros, como é o caso dos fornecedores externos, que não têm as mesmas condições que nós, em termos de pagamento das horas de paragem”, diz um operário.

Esta medida é a mais drástica do grupo, até agora, tendo em conta que esta fábrica é a maior de todo o grupo PSA. Os 14.000 empregados vão tirar férias obrigatórias e as instalações só voltam a abrir no dia 6 de Janeiro.