Última hora

Última hora

Polícia belga poderá ter evitado atentado na cimeira europeia

Em leitura:

Polícia belga poderá ter evitado atentado na cimeira europeia

Tamanho do texto Aa Aa

A detenção de 14 pessoas suspeitas de ligações à Al-Qaida esta quinta-feira em Bruxelas, deixou no ar a eventualidade de um atentado contra a cimeira europeia.
´
Segundo a polícia belga, um dos detidos planeava um ataque suicida contra um alvo desconhecido. “A informação revelou que o implicado tinha recebido autorização para executar uma operação. E que ele sabia que não iria voltar. Essa informação sublinhava também que ele tinha dito adeus aos seus próximos porque queria ir para o paraíso de consciência tranquila”, revelou um responsável policial.

Desde 2007 que a polícia investigava uma alegada célula da organização terrorista Al-Qaida em território belga. As autoridades foram obrigadas a intervir esta quinta-feira, para garantir a segurança dos dirigentes europeus.

O primeiro-ministro belga Yves Leterme declarou a propósito que “Tivémos uma intervenção muito eficiente por parte das forças da ordem e isto mostra porque é que algumas medidas de seguranças são mesmo necessárias”.

A polícia deteve 13 pessoas em Bruxelas e uma em Liége, entre elas encontrava-se uma mulher implicada no assassinato do general Masud, a principal figura da resistência contra os talibãs. (morto num atentado suicida em 2001).

Alguns dos suspeitos teriam voltado recentemente de campos de treino no Afeganistão.