Última hora

Última hora

Treze detidos em Nápoles por suspeitos de corrupção, dois conselheiros muncipais entre os acusados

Em leitura:

Treze detidos em Nápoles por suspeitos de corrupção, dois conselheiros muncipais entre os acusados

Treze detidos em Nápoles por suspeitos de corrupção, dois conselheiros muncipais entre os acusados
Tamanho do texto Aa Aa

Pelo menos 13 pessoas foram detidas pela polícia italiana acusadas de corrupção. A maioria trabalhava na Câmara de Nápoles. Todas são suspeitas de favorecer a concessão de contratos de empreitadas públicas e em troca receber comissões.

Entre os detidos está alegadamente o beneficiário de todo o esquema. Chama-se Alfredo Romeo, é um empresário influente. Também foram detidos os seus colaboradores na sociedade Global Service, mais dois conselheiros municipais e ainda um coronel da polícia fiscal italiana. A presidente da Câmara de Nápoles explica que demitiu dois ajuntos logo depois de ser conhecida a decisão judicial. Rosa Russo Jervolino, líder carismática da ala centro-esquerda italiana, que foi ministra por diversas vezes, é, até agora, intocável. A primeira vítima do escândalo, antes das detenções, foi Giorgio Nuñes, que se suicidou há duas semanas. Mesmo assim, a sua casa foi revistada pelas autoridades na sequência das 13 detenções. Em causa estão quase 400 milhões de euros, concursos públicos para reparação de estradas, renovação do parque imobiliário, que está ligado à gestão das cantinas escolares.