Última hora

Última hora

Primeiro-ministro belga propõe demissão do executivo

Em leitura:

Primeiro-ministro belga propõe demissão do executivo

Tamanho do texto Aa Aa

A apresentação do relatório do supremo tribunal belga sobre a actuação do governo de Bruxelas no caso Fortis já começou a fazer vítimas. Jo Vandeurzen, o ministro da Justiça belga, apresentou a demissão no seguimento da publicação do relatório, esta tarde, e o chefe do executivo, Yves Leterme, propôs a demissão do governo.

Para já, ainda não uma decisão final sobre a proposta do primeiro-ministro. De acordo com o relatório da mais alta instância jurídica belga há “indicações importantes” de que o executivo tentou pressionar a justiça, mas não existe “nenhuma prova jurídica.” Em Novembro, Yves Leterme e o ministro das Finanças, Didier Reynders, nacionalizaram as actividades do líder da banca na Bélgica, o que causou a ira dos accionistas devido às perdas geradas pela queda das acções no seguimento da operação. Os accionistas decidiram então apresentar queixa por não terem sido previamente consultados. O Tribunal do Comércio belga validou a operação no Fortis, mas o Tribunal da Relação deu razão aos accionistas. O governo anunciou que iria interpôr recurso. A nova situação bloqueou a venda do gigante francês BNP Paribas, detido em 75 por cento pelo Fortis. Yves Leterme negou qualquer ingerência do executivo sobre o poder juurídico e apenas admitiu ter feito “contactos”.