Última hora

Última hora

Sessenta e seis países, incluindo Portugal, apelaram à ONU para que aprove a despenalização universal da homossexualidade

Em leitura:

Sessenta e seis países, incluindo Portugal, apelaram à ONU para que aprove a despenalização universal da homossexualidade

Tamanho do texto Aa Aa

O pedido foi feito durante um plenário da Assembleia-geral das Nações Unidas, pelo Embaixador da Argentina nos Estados Unidos, Jorge Arguello.

Os sessenta e seis países condenam a violação dos direitos do homem com base, por exemplo, na orientação sexual. A Ministra francesa dos Direitos Humanos afirmou durante a sessão que este é um dia histórico para a comunidade de gays, lésbicas, transsexuais e bissexuais que se têm batido pela dignidade dos direitos humanos. O apelo tem como base o princípio da universalidade dos Direitos Humanos, consagrados na Declaração Universal criada à sessenta anos. Em contraponto o representante sírio na ONU mostrou séria preocupação com aquilo que considerou uma tentativa de introduzir noções sem fundamento legal em relação aos direitos humanos internacionais. Na assembleia da ONU têm assento 192 Estados-Membros. Não foi apenas a Síria a opôr-se, vários Estados árabes e o Vaticano rejeitaram de forma categórica esta iniciativa.