Última hora

Última hora

Sindelfingen pobre sem impostos da Mercedes

Em leitura:

Sindelfingen pobre sem impostos da Mercedes

Tamanho do texto Aa Aa

A cidade de Sindelfingen, perto de Estugarda, na Alemanha, vai ter este ano um Natal mais triste. Isto porque a Daimler, principal contribuinte, está isenta do imposto municipal, por culpa da crise.

A fábrica da Mercedes é o principal ganha-pão da cidade, mas os efeitos da crise estão a bater à porta do gigante automóvel. A autarquia está a deitar contas à vida para ver como pode fazer as obras de que a cidade precisa, sem a habitual contribuição da Daimler. O presidente da Câmara está preocupado: “Como município, temos a obrigação de fornecer um certo número de infraestruturas, mesmo sem o dinheiro dos impostos. Mas temos também que dizer às empresas que é obrigação delas contribuir para essas infraestruturas, independentemente de terem lucro ou não”. A piscina municipal está fechada, porque precisa de um tecto novo. As obras estavam previstas para agora, mas vão ter que esperar mais tempo. Também as obras da nova auto-estrada estão em risco. A estrada serve, sobretudo, os trabalhadores da fábrica. “Esta extensão da auto-estrada está a ser construída e custa-nos 13 milhões de euros. No próximo ano não temos receitas com os impostos das empresas, mas temos à mesma que financiar a construção até ao fim”, diz o vereador dos Transportes. As vendas da Mercedes, tal como da maior parte das marcas, estão em queda, com a crise a fazer baixar drasticamente os números da procura. Na fábrica, durante os próximos tempos, as semanas vão ser mais curtas. A redução do trabalho afecta dois terços dos 28.000 empregados.