Última hora

Última hora

Participação eleitoral recorde no Bangladesh

Em leitura:

Participação eleitoral recorde no Bangladesh

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de 80 milhões de eleitores votaram hoje para as legislativas, num escrutínio marcado por uma forte participação eleitoral e que representa um primeiro passo rumo à estabilidade política após dois anos de estado de emergência.

Na corrida para o cargo de chefe de governo estão as duas mulheres que monopolizam há vinte anos a vida política do país. Uma é a candidata da Liga Awami, uma formação laica de centro esquerda. Hasina Wajed, é filha do Sheikh Mujibur Rahman, morto em 1975, pelos militares quando desempenhava o cargo de primeiro presidente do Bangladesh. A outra candidata representa o Partido Nacionalista do Bangladesh. Khaleda Zia é a viúva do presidente Ziaur Raham, assassinado em 1981. O Bangladesh, ex-Paquistão Oriental, independente desde 1971, é um país laico com 144 milhões de habitantes, na sua maioria muçulmanos. Uma cidadã do Bangladesh afirmou esperar que “o terrorismo e a corrupção acabem independentemente do vencedor e que as mulheres possam circular livremente e de forma segura”. Nos dois anos de estado de emergência o governo iniciou uma campanha de combate à corrupção que levou à detenção de 150 pessoas, entre as quais as duas antigas primeiras-ministras que foram libertadas sob caução.