Última hora

Última hora

Quatro noites de bombardeamentos em Gaza

Em leitura:

Quatro noites de bombardeamentos em Gaza

Tamanho do texto Aa Aa

Os sons da morte não cessam de ecoar na Faixa de Gaza.

A força aérea israelita lançou esta noite mais uma onda de bombardeamentos no território controlado pelo Hamas, o movimento islâmico que decidiu não renovar as tréguas que duravam há seis meses. Os últimos ataques israelitas visaram na maioria edifícios da administração do enclave, como o gabinete do primeiro-ministro Ismayel Hanyeh, vários ministérios e a Universidade islâmica. Pelo menos 10 pessoas morreram e mais de 40 ficaram feridas. Desde sábado, altura em que foram desencadeadas as acções beligerantes, já morreram pelo menos 360 palestinianos. De acordo com as Nações Unidas, 62 eram civis, crianças e mulheres incluídas. O director dos serviços de urgência, citado pela agência France Press, estima existirem pelo menos 1700 feridos. As ruas palestinianas enchem-se de ódio. A operação israelita “chumbo endurecido” é considerada uma das mais violentas em 40 anos de conflito. Israel mobilizou 6500 reservistas numa guerra qualificada pelo ministro da defesa Ehud Barak como “sem tréguas contra o Hamas”. A expectativa é grande sobre se Israel vai invadir a Faixa de Gaza. A última incursão militar terrestre, na guerra do Líbano, em 2006, custou a humilhação a Telavive.