Última hora

Última hora

Hamas aceita convite egípcio para reatar discussões de paz

Em leitura:

Hamas aceita convite egípcio para reatar discussões de paz

Tamanho do texto Aa Aa

O Hamas poderá reatar as discussões diplomáticas com Israel, mediadas pelo Egipto e suspensas desde o início da ofensiva em Gaza.

Os responsáveis do movimento islamita anunciaram que vão enviar uma delegação de negociadores ao Cairo esta segunda-feira. Uma deslocação que coincide com a presença na cidade de representantes da União Europeia que tentam sem sucesso negociar um cessar-fogo, recusado por Israel. O Secretário-Geral da ONU convocou o enviado da organização ao Médio Oriente para fazer um balanço da situação no terreno. Ban Ki Moon, que se reúne hoje com vários líderes árabes, exigiu que Israel reabra três postos fronteiriços para permitir o acesso de ajuda humanitária a Gaza. No Cairo, o ministro dos Negócios Estrangeiros francês, Bernard Kouchner, voltou a sublinhar a necessidade de uma intervenção diplomática, “concreta e concertada”, num momento em que a ONU não chegou a um consenso para condenar a ofensiva israelita. Para lá da “troika” negocial da União, pelo Cairo vão passar também o presidente da autoridade palestiniana, Mahmoud Abbas e o primeiro-ministro israelita Ehud Olmert, assim como responsáveis sírios e iranianos, que apoiam o Hamas. O chefe de Estado francês Nicolas Sarkozy desloca-se também à região, depois de ter acusado ontem o Hamas de, “ser culpado pelo sofrimento da população de Gaza”. A comissária europeia para as Relações Externas sublinhou ontem a importância de reabrir o território à ajuda humanitária. “É indispensável abastecer a população em combustíveis e víveres, mas também assegurar o funcionamento dos hospitais”, afirmou Benita Ferrero Waldner. As manobras da diplomacia internacional são marcadas pelo silêncio de Barack Obama, nos Estados Unidos, depois de Washington ter chumbado, no sábado, uma resolução sobre a situação em Gaza do Conselho de Segurança da ONU. Israel recusa quaisquer contactos com o Hamas, tendo rejeitado ontem uma proposta de mediação apresentada por Moscovo.