Última hora

Última hora

Guerra contra o frio nos Balcãs

Em leitura:

Guerra contra o frio nos Balcãs

Tamanho do texto Aa Aa

Os efeitos da guerra do gás entre a Rússia e a Ucrânia já se sentem fortemente na Europa de Leste, nomeadamente nos Balcãs.

Na Bósnia, o carvão e a madeira são as alternativas para as pessoas se aquecerem e enfrentarem temperaturas na ordem dos 10ºC negativos. O país importa todo o seu gás da Rússia e a paragem do aprovisionamento fez com que 1/3 dos 400 mil habitantes de Sarajevo ficasse sem aquecimento. O consumo de electricidade subiu 20% e há uma corrida aos aquecedores eléctricos. Os recursos alternativos estão a esgotar-se mas os fornecedores prometem não aumentar os preços da madeira e do carvão. O cenário de uma crise humanitária paira também sobre a Bulgária, onde a alternativa energética adoptada é o petróleo, apesar dos custos ambientais de tal opção. O país da União Europeia teme uma perda de competitividade em pleno período de crise económica internacional por estar a funcionar a meio-gás. “Todas as companhias industriais, os edifícios públicos, estão sem gás. As escolas estão fechadas, as crianças têm de ficar em casa”, explicou uma responsável búlgara. Os industriais estimam as perdas económicas em 250 milhões de euros por dia depois de mais de 70 grandes empresas terem tido de parar a produção e outra centena e meia ter visto uma forte redução no aprovisionamento de gás russo.