Última hora

Última hora

Dirigentes palestinianos no exílio rejeitam plano egípcio

Em leitura:

Dirigentes palestinianos no exílio rejeitam plano egípcio

Tamanho do texto Aa Aa

Mais de setecentos mortos e três mil feridos é o balanço do trigésimo dia da ofensiva israelita contra o Hamas.

A aviação intensificou os raides aéreos sobretudo em Rafah, para destruir os túneis por onde passa o contrabando de armas como o Egipto. Entretanto, oito movimentos palestinianos sedeados na capital síria rejeitaram o plano de cessar-fogo do Cairo. As organizações islamistas no exílio, entre elas o Hamas, declararam, em comunicado, que a proposta egípcia “ameaça a resistência palestiniana e permite ao inimigo de continuar a agressão”. No mesmo texto, os oito signatários dizem-se surpreendidos pelo apoio de certos países árabes à proposta elaborada na terça-feira pelo Egipto e pela França. Para sábado, está prevista uma cimeira entre o chefe de Estado egípcio e o presidente da Autoridade Palestiniana, Mahmoud Abbas, que já se mostrou favorável ao plano de tréguas franco-egípcio. Uma missão israelita deslocou-se esta quinta-feira ao Cairo para debater as condições de cessar-fogo. O Egipto definiu um prazo de três dias para o fim das hostilidades.