Última hora

Última hora

Putin acusa Kiev de má vontade

Em leitura:

Putin acusa Kiev de má vontade

Tamanho do texto Aa Aa

A presidência checa da UE não avançou qualquer detalhe sobre os termos do acordo de última hora anunciado a noite passada com a Rússia, pelo que se desconhece se a Gazprom terá deixado cair a exigência de enviar observadores próprios.

As relações turbulentas entre Moscovo e Kiev têm impedido a resolução da crise do gás. Como se depreende das palavras de Putin. “Creio que estamos prestes a viver o momento da verdade. Aquele que quer resolver os problemas, encontra os meios para fazê-lo. Aquele que não quer enfrentar o problema, procura pretextos para que determinadas acções não possam ser levadas a cabo”. Entretanto, o rigoroso inverno continua a dificultar a vida, especialmente na Europa Central e de Leste, que dependem do gás russo. Os cortes de combustível obrigaram à interrupção da actividade de muitas indústrias em países como a Hungria e a Bulgária. Na Sérvia, Boris Tadic anunciou que o Estado vai recorrer às reservas de gás alemão e húngaro.