Última hora

Última hora

Dia zero para a nova Alitalia

Em leitura:

Dia zero para a nova Alitalia

Tamanho do texto Aa Aa

O Conselho de Administração da Air France-KLM aprovou a compra de 25% do capital da nova Alitalia, que começa a voar esta terça-feira.

O voo entre Londres e Roma vai inaugurar a nova companhia aérea italiana, que é resultante da fusão entre a Air One e a divisão de transporte de passageiros da extinta Alitalia e tem como principal accionista o consórcio CAI. Neste grupo estão o banco Intesa e vários empresários de renome, como a família Benetton. É o culminar de um ano de negociações para salvar a transportadora, marcado pla recusa, por parte dos sindicatos, dos sucessivos acordos. Esta refundação da Alitalia implica o fim de vários milhares de postos de trabalho. Outros ficaram, mas numa situação precária, como explica uma trabalhadora: “Estamos aqui para sublinhar que a nossa situação é precária, ninguém tem consideração por nós. Somos uma espécie de fantasmas, não representamos nada para eles. Temos dez anos de serviço em cima e levamos pontapés, desta maneira”. Embora a principal base da nova Alitalia seja o aeroporto de Fiumicino, em Roma, foi alcançado um compromisso para que Milão-Malpensa continue a ser um “hub” importante. A companhia de baixas tarifas Eurofly apresentou uma série de novas rotas, todas com origem no principal aeroporto de Milão. A participação na Alitalia da Air France-KLM, que há muito andava a ser negociada, deixa para trás a Lufthansa, que esteve interessada em tomar uma posição, acabou por não fazer qualquer proposta oficial.