Última hora

Última hora

Civis palestinianos continuam a ser a maioria das vítimas

Em leitura:

Civis palestinianos continuam a ser a maioria das vítimas

Tamanho do texto Aa Aa

A situação humanitária em Gaza piora de dia para dia, com o fluxo de feridos a aumentar à medida que os combates e bombardeamentos se intensificam.

Se o número de vítimas mortais já terá, segundo fontes médicas palestinianas, ultrapassado largamente os 900, os hospitais já não têm camas para acolher os milhares de feridos. “Temos muitas baixas todos os dias. A maior parte são civis. Já tratámos alguns combatentes, mas a cada dia que passa temos que enfrentar a realidade de que a maioria destes pacientes são civis”, afirmou um responsável médico do principal hospital da cidade. A maioria dos hospitais da região continua a funcionar alimentada por geradores de emergência que mantêm a trabalhar as máquinas de suporte à vida. Esta terça-feira, uma coluna de camiões com ajuda humanitária atravessou a fronteira na passagem de Kerem Shalom, no sul da Faixa de Gaza. A quantidade de víveres que vai entrando a conta gotas no território é insuficiente para inverter o cenário de desastre humanitário que cresce em Gaza, uma cidade onde há mais de uma semana milhares de pessoas estão sem água e electricidade.