Última hora

Última hora

Oposição critica plano de relançamento da economia alemã

Em leitura:

Oposição critica plano de relançamento da economia alemã

Tamanho do texto Aa Aa

Se o mundo empresarial acolheu com satisfação as medidas do governo, o mesmo não se pode dizer da oposição, sobretudo, em ano eleitoral.

No plano estão previstos cortes nos impostos no valor de três mil milhões de euros este ano, e o dobro para 2010. Guido Westerwelle, líder dos liberais, recorreu à ironia para criticar a medida. Segundo Westerwelle, “os cortes nos impostos deste ano equivalem a três euros e dez cêntimos por contribuinte e por mês, ou seja, uma salsicha com maionese e batatas fritas”. “Os alemães vão poder entrar num frenesim consumista”, ironizou. O pacote fiscal é uma das medidas previstas no plano, por forma a aliviar as famílias em tempos de crise. Incentivos que passam também pelas ajudas públicas a quem trocar de carro. Berlim procura assim ajudar a importante indústria automóvel do país. Mas o principal ponto será o investimento em infra-estruturas e na educação. Só para o ensino, Berlim prevê desbloquear 18 mil milhões de euros.