Última hora

Última hora

União Europeia perde gás na mediação da crise russo-ucraniana

Em leitura:

União Europeia perde gás na mediação da crise russo-ucraniana

Tamanho do texto Aa Aa

A Europa assiste, impotente, a um novo capítulo da crise do gás entre a Rússia e a Ucrânia.

Um dia depois da petrolífera Gazprom afirmar ter retomado o abastecimento, o gás russo continua sem chegar aos lares europeus. Kiev e Moscovo trocam acusações sobre a responsabilidade da falta de pressão nos gasodutos que impossibilita a retoma do fluxo normal do combustível. Os observadores europeus, que controlam desde ontem as instalações dos dois países, não se pronunciaram ainda sobre a situação. Face à passividade da União Europeia, Moscovo prepara-se hoje para assumir o papel de mediador junto dos países mais afectados pelo corte no abastecimento. O primeiro-ministro Vladimir Putin vai reunir-se hoje com os responsáveis Búlgaros e Eslovacos que dependem a quase 100 do fornecimento russo e que deverão deslocar-se também a Kiev. A União Europeia tinha conseguido obter um acordo entre os dois países para pôr fim à suspensão do fornecimento de gás, mas sem resolver a questão que está na base do diferendo. Kiev recusa-se a pagar o combustível ao preço exigido por Moscovo, que representa mais de 40% do valor actual.