Última hora

Última hora

Obama e o tributo a Lincoln

Em leitura:

Obama e o tributo a Lincoln

Tamanho do texto Aa Aa

Ao longo de todo o percurso, não faltam ocasiões para Barack Obama lembrar Abraham Lincoln. Logo que anunciou a candidatura, em Fevereiro de 2007, escolheu Springfield, terra natal de Lincoln, para anunciar. E é por isso, que à sombra do velho Capitólio, onde Lincoln um dia apelou a um Congresso dividido para superar as divergências e continuar unido: “onde as esperanças comuns e os sonhos continuam vivos, aqui anuncio a minha candidatura a presidente dos Estados Unidos.”, disse

Mas há outras semelhanças com Lincoln, o presidente que aboliu a escravatura. Obama também escreve os próprios discursos, nomeadamente o que proferiu em Filadélfia sobre a questão racial. Os dois homens tiveram o génio político de insistir sobre a unidade da nação para além do espírito partidário. Harold Holzer, biógrafo de Lincoln compara: “Eram ambos jovens magros do Illinois, com pouca experiência política, que vieram do nada para vencer uma nomeação e ganhar a presidência. Ambos eram advogados e tiveram uma curta experiência legislativa, demonstrando sempre uma enorme capacidade oratória.” O paralelismo não acaba aqui. Como Lincoln, Obama considera a humildade uma virtude política e, consequentemente, escolheu antigos rivais para a equipa governativa. Ambos tiveram de vencer um senador de Nova Iorque dado, logo no início, como vencedor da campanha presidencial para, a seguir, o escolherem como Secretário de Estado. E para salientar ainda mais as semelhanças, Lincoln refez o percurso ferroviário de Lincoln, desde Filadélfia, cidade onde foi declarada a independência, passando por Baltimore, cidade dos escravos libertos, até Washinghton. É na capital federal que Barack Obama toma posse, fazendo o juramento solene com a mão sobre a bíblia que serviu a Lincoln na tomada de posse. Mas os historiadores avisam Obama para ter cuidado com os paralelismos porque nenhum período contemporâneo é a exacta réplica de uma situação do passado… Quando Lincoln tomou posse, o país atravessava momentos muito difíceis, estava quase a iniciar a guerra da Secessão. E agora, os americanos esperam reposta de Obama para muitos desafios e conflitos em momentos também difíceis.