Última hora

Última hora

Crise financeira conduz a eleições antecipadas na Islândia

Em leitura:

Crise financeira conduz a eleições antecipadas na Islândia

Tamanho do texto Aa Aa

Os protestos dos islandeses parecem ter produzido resultados.

Ao fim de meses de manifestações, o primeiro-ministro Geir Haarde anunciou a convocação de eleições antecipadas às quais não será candidato. Aos 57 anos, o chefe do Governo de coligação partilhado por conservadores e sociais democratas também revelou que sofre de cancro do esófago e que por isso se irá demitir durante o congresso do seu partido. O líder do principal partido da oposição prefila-se como o mais sério candidato a substituir Geir Haarde. O mandato do actual Governo só deveria terminar em 2011, se o executivo tivesse sobrevivido à actual crise financeira. Esta ilha de apenas 320.000 habitantes tornou-se, em Outubro último, na primeira vítima da crise global quando o sistema financeiro rebentou sob o peso de dívidas astronómicas contraídas pelos seus bancos no exterior. Enquanto os protestos populares se vão tornando mais violentos, as notícias também não são as melhores. O ministro das finanças anunciou uma contracção da economia islandesa para próximo dos 10 % do PIB este ano. Quanto ao desemprego, outrora inexistente, deverá em 2009 atingir perto de 8% da população activa.