Última hora

Última hora

Referendo constitucional testa projecto de Evo Morales para a Bolívia

Em leitura:

Referendo constitucional testa projecto de Evo Morales para a Bolívia

Tamanho do texto Aa Aa

A Bolívia celebra este domingo o primeiro referendo constitucional da sua história. Um exame decisivo para o projecto de “revolução democrática e cultural” do presidente Evo Morales.

Perto de quatro milhões de eleitores são chamados às urnas para se pronunciarem a favor ou contra uma Constituição que propõe uma Bolívia plurinacional, orientada para a integração indígena e social e com uma economia de carácter “estadista”. Morales defende que o novo texto constitucional pretende “dar a todos as mesmas oportunidades, direitos e deveres e acabar com a exclusão”. A oposição ao projecto do presidente de etnia Aymara concentra-se nos departamentos de Santa Cruz, Beni, Tarija e Chuquisaca. Os críticos de Morales falam numa concentração de poderes. O líder do partido Podemos no Senado afirma que “grupos no poder – como o de Evo Morales – ganharão um controlo artificial do próximo Congresso e de outros orgãos, como o poder judicial e mesmo o tribunal eleitoral”. Os opositores de Morales dizem também que a nova Constituição vai acentuar as divisões no país e contraria o princípio da igualdade a favor das populações indígenas, para além de não assegurar uma verdadeira descentralização autonómica.