Última hora

Última hora

Pressão popular dá frutos na Islândia

Em leitura:

Pressão popular dá frutos na Islândia

Tamanho do texto Aa Aa

A pressão popular na Islândia parece dar frutos.

Ao fim de meses de manifestações, o ministro do comércio islandês, Bjorgvin Gudni Sigurdsson, apresentou este Domingo a demissão. A ilha de 320 mil habitantes foi a primeira vítima da crise global, em Outubro, quando o sistema financeiro rebentou sob o peso de dívidas astronómicas contraídas pelos bancos no exterior. Em conferência de imprensa, Sigurdsson reconheceu responsabilidades face à crise mas afirmou que o governo tomou boas decisões. Decisões que não convenceram a população. Face à pressão, o primeiro-ministro Geir Haarde, anunciou na sexta-feira a convocação de eleições antecipadas às quais não será candidato. O chefe do executivo de coligação revelou também que sofre de cancro do esófago e que por isso irá abandonar a liderança do seu partido. As estimativas indicam que o PIB islandês deverá recuar cerca de 10% em 2009. Outrora inexistente, o desemprego deverá atingir perto de 8% da população activa.