Última hora

Última hora

Ucrânia concorda em aumentar cooperação energética com a Europa

Em leitura:

Ucrânia concorda em aumentar cooperação energética com a Europa

Tamanho do texto Aa Aa

Após a “guerra do gás”, é hora de procurar uma reaproximação entre e Ucrânia e a União Europeia.

Victor Iuschenko concordou esta terça-feira colocar em marcha uma maior cooperação no sector energético com os 27, num encontro com o presidente da Comissão Europeia, em Bruxelas. Durão Barroso não quer que as perturbaçoes ocorridas na entrega do gás, que afectaram milhões de europeus, “se repitam todos os anos”. Bruxelas quer trabalhar com Kiev para integrar a Ucrania, país pelo qual transita o gás vindo da Rússia, na Comunidade Energética Europeia. A 23 de Março, discute-se ainda como melhorar o trânsito gasífero pelo território ucraniano. O presidente da Ucrânia anuncia que falou com Durão Barroso sobre a “integração no mercado de gás europeu, sobre a integração do sistema eléctrico da Ucrânia e sobre a harmonização com a Europa, que deverá ter lugar num futuro próximo”. Um dia importante para a energia na Europa. Em Budapeste, representantes de 13 países discutiram o projecto Nabucco, uma prioridade europeia, que pretende reduzir a dependência do gás russo. O gasoduto de 3 mil e 300 quilómetros, prevê o fornecimento à Europa de gás proveniente do Mar Cáspio através de um percurso que deve passar pela Turquia, Bulgária, Roménia, Hungria e Áustria. O primeiro ministro húngaro pediu à União Europeia que desbloqueie 200 a 300 milhões de euros nos próximos meses para dar o pontapé de saída no projecto paneuropeu, orçado em 8 mil milhões de euros. O gasoduto que poderá transportar 30 mil milhões de metros cúbicos de gás por ano deverá estar concluido em 2020.