Última hora

Última hora

Italiana símbolo da luta pela eutanásia está na clínica onde deverá morrer

Em leitura:

Italiana símbolo da luta pela eutanásia está na clínica onde deverá morrer

Tamanho do texto Aa Aa

O combate da família de Eluana Englaro, símbolo da luta a favor da eutanásia em Itália, entra na recta final.

A italiana de 37 anos – 17 dos quais passados num coma vegetativo – foi transferida para uma clínica de Udine, no nordeste do país, onde uma equipa médica se prepara para suspender a alimentação e a hidratação artificial. Um direito obtido pelo pai após um longo combate judicial que durou mais de uma década. Um anestesista da clínica de Udine explica que “Eluana não vai sofrer porque”, segundo defende, “ela está morta há 17 anos”. A tranferência de Eluana para o local onde deverá morrer foi realizada durante a madrugada, mas mesmo assim foi alvo de protestos. O caso divide profundamente a opinião pública italiana, e gerou um intenso debate político, ético e jurídico. O Vaticano e o Governo de centro-direita de Silvio Berlusconi têm multiplicado as pressões para tentar impedir a decisão da Justiça e o ministro da Saúde deixou antever uma nova intervenção nos tribunais. A deputada de esquerda Anna Finocchiaro diz que “a política não deve zangar-se com a magistratura. A responsabilidade cabe também aos políticos, que não souberam pensar antes” na questão. O deputado Rocco Buttiglione explica que a sua formação, a União de Centro, pediu ao primeiro-ministro que “convoque um conselho de ministros para aprovar imediatamente uma lei que proteja o direito à vida”. Desligada a alimentação e a hidratação artificial, Eluana deverá morrer no espaço de 15 a 20 dias.