Última hora

Última hora

Criminoso nazi morreu impune, no Egipto, há 17 anos

Em leitura:

Criminoso nazi morreu impune, no Egipto, há 17 anos

Tamanho do texto Aa Aa

O “doutor morte”, um dos responsáveis do regime nazi mais procurados pela justiça, terá morrido em liberdade, no Egipto há 17 anos.

Uma investigação realizada pela televisão alemã ZDF e pelo jornal New York Times revelou a forma como Aribert Heim viveu foragido durante 30 anos no Cairo, antes de morrer de um cancro intestinal. Os responsáveis do centro Simon Wiesenthal, especializado na busca de responsáveis nazis foragidos, tinham localizado Heim no Chile. Agora exigem provas concretas da morte do criminoso. Foragido da Alemanha de Leste em 1962, Heim terá sobrevivido no Egípto graças ao dinheiro enviado mensalmente por uma irmã. Convertido ao islamismo e sob o nome de Tarek Farid Husseim, o chamado “carniceiro de Mathausen” – conhecido pelas suas experiências médicas terríveis nos campos de concentração -terá sido enterrado numa fossa comum, no Cairo. Sem nunca ter sido julgado pelos seus crimes, o corpo de Heim terá sido desenterrado, para ser utilizado em experiências médicas.