Última hora

Última hora

Desemprego galopante nos Estados Unidos

Em leitura:

Desemprego galopante nos Estados Unidos

Tamanho do texto Aa Aa

O desemprego continua a crescer nos Estados Unidos, a um ritmo superior a meio milhão de postos de trabalho perdidos, por mês.

O sector industrial é o que está a contribuir mais para o desemprego. Mas acaba por contaminar rapidamente outros sectores, como o terciário. “É preciso muita resistência. Eu procuro online, vejo online algumas ofertas de emprego, anúncios de empregos, mas depois, quando os contacto, dizem que ainda não estão a chamar as pessoas”, diz um desempregado. Uma mulher disse entretanto que já começa a perder a esperança: “Ando nisto há dois meses e nada. Ja não acredito no mercado de trabalho e na economia, isto está a ficar muito mau. Não acredito que se resolva de um momento para o outro”. Os últimos números do desemprego não deixam margem para grandes dúvidas. Desde o princípio da recessão, 3.6 milhões de americanos perderam o emprego. Uma dor de cabeça para Barack Obama que espera a concordância do Senado, para o seu plano. Mas os resultados podem ser demorados, como adverte uma analista: “O pacote de estímulos e os seus benefícios vão com certeza ajudar a criar emprego e a reduzir essa taxa de desemprego que temos agora de 7.6 por cento.O problema é saber se começará a produzir efeitos rapidamente. Mesmo que seja rápido, vai demoorar e temos pela frente meses difíceis”. Os mercados continuam sem dar sinais de reanimação. Sobretudo Wall Street, porque a crise nasceu aqui. Sabe-se quando começou a recessão, mas não se sabe quando acabará.