Última hora

Última hora

Trabalhadores chineses retidos em Bucareste

Em leitura:

Trabalhadores chineses retidos em Bucareste

Tamanho do texto Aa Aa

Chegaram à Roménia com promessas de trabalho e salários superiores aos da China… mas agora nem trabalho nem vencimento.

Centenas de imigrantes chineses juntaram-se em frente à embaixada do seu país em Bucareste para conseguir assistência – serem repatriados ou simplesmente comer. Cerca de 80 montaram tendas. “Não temos salários já há dois meses. Não temos como comprar comida ou água. Toda a gente está com fome”, diz um trabalhador. A maioria trabalhava na construção civil. De acordo com as autoridades, agências de recrutamento e angariadores cobraram avultadas somas na oferta de um emprego com poucas garantias. Muitas empresas romenas não conseguiram vistos de trabalho. Vários chineses estavam em situação irregular. A embaixada anunciou já ter repatriado cerca de 500 pessoas desde Novembro. Com a entrada da Roménia na União Europeia em 2007, muitos cidadãos nacionais emigraram para o ocidente. O país ficou obrigado a importar mão-de-obra.