Última hora

Última hora

Jornalista iraquiano dos sapatos será julgado em Março

Em leitura:

Jornalista iraquiano dos sapatos será julgado em Março

Tamanho do texto Aa Aa

O julgamento do jornalista iraquiano que se tornou num ícone das críticas contra a invasão do Iraque, ao lançar os sapatos sobre George W. Bush, foi adiado para o dia 12 de Março.

Muntazer al-Zaidi deveria ter começado a ser julgado hoje mas, no início da audiência, a defesa pediu a presença de peritos para analisar o seu gesto e o julgamento foi adiado. O irmão do arguido diz que espera um “verdicto positivo” e que o seu irmão não seja condenado. Espera que “o sistema judiciário do Iraque não esteja politizado” e tem “esperança numa justiça iraquiana independente”. Mas, apesar de o jornalista ter sido aclamado, há muitos iraquianos que pensam que procedeu mal. “O que queremos é um julgamento justo. Ele fez uma coisa errada porque o nosso primeiro-ministro estava lá e Bush era nosso convidado, afirma um iraquiano. É de ter violado as regras da hospitalidade que muitos compatriotas acusam o jornalista. A defesa argumenta que ele não pode ser acusado de ter incorrido no crime de agressão caracterizada previsto no código penal iraquiano porque não tentou matar Bush, tentou apenas exprimir a sua opinião. A equipa de 25 advogados de al-Zaidi vai tentar que os peritos expliquem que houve razões psicológicas, sociais e políticas que justificam o seu gesto. Um gesto de recusa da ocupação.