Última hora

Última hora

Governo italiano decreta prisão obrigatória para presumíveis violadores, rondas populares de vigilância autorizadas

Em leitura:

Governo italiano decreta prisão obrigatória para presumíveis violadores, rondas populares de vigilância autorizadas

Tamanho do texto Aa Aa

A partir de amanhã, em Itália, os suspeitos de violação sexual vão para a prisão com carácter obrigatório à espera de julgamento e os populares vão ser autorizados a fazer as rondas de vigilância nas cidades.

São as duas novas medidas do executivo de Silvio Berlusconi, anunciadas pelo ministro do interior: “Prevemos a possibilidade de os presidentes de câmara poderem contar com a colaboração de associações de cidadãos não armados para informar os polícias sobre acontecimentos que podem perturbar a segurança urbana”. As medidas foram publicadas em decreto e por isso a entrada em vigor tem caracter imediato. Berlusconi justifica a urgência com o facto de ter havido tres violações nos últimos dias em Roma e Milão. “Queremos passar das rondas de vigilância popular aos voluntários para a segurança, grupos de pessoas reguladas e controladas. As forças policiais que trabalham nas ruas todos os dias, estão de acordo com a medida”, garante Roberto Maroni. O que os opositores à medida não percebem é porque é que as violações sexuais estão a fazer tanto alarido este ano, quando em relação ao ano passado, diminuiram pelo menos 10%.