Última hora

Benjamin Netanyahu tem 42 dias para formar governo.

O líder do Likud foi indigitado pelo presidente Shimon Perez para constituir o executivo que será depois submetido ao voto dos deputados. O Likud de direita perdeu as eleições de 10 de Fevereiro para o Kadima, com a diferença de apenas um deputado, mas tem os apoios praticamente garantidos por parte dos pequenos partidos de extrema-direita. Netanyahu apela a uma coligação de união nacional, com a participação de Tzipi Livni, líder do Kadima, e de Ehud Barak, líder trabalhista, para bem do povo e do Estado. A candidatura de Netanyahu é apoiada por dois partidos religiosos ultra-nacionalistas, que contam sete assentos parlamentares, pelo ultra-ortodoxo Shas, com 11, pela Lista Unificada da Tora, com cinco e pelo Israel Beitenu de extrema direita, com 15 lugares. No total, são 65 deputados. Mesmo assim Netanyahu quer que Tzipi Livni, do Kadima, faça parte da coligação. Livni já reafirmou vezes sem conta que não vai formar governo com Netanyahu, que vai voltar para a bancada da oposição, onde se irão sentar também os trabalhistas que não elegeram mais do que 13 parlamentares. Benjamin Netanyahu é o homem responsável pela colonização judaica a larga escala nos Territórios Palestinianos, a partir de 1996; defende uma autonomia alargada mas recusa a ideia da criação um Estado palestiniano.