Última hora

Última hora

Colecção Bergé-Saint Laurent vai a leilão da Christie's

Em leitura:

Colecção Bergé-Saint Laurent vai a leilão da Christie's

Tamanho do texto Aa Aa

Os objectos que fizeram parte da vida um dos casais mais conhecidos do mundo da moda podem ser vistos eplo público, até segunda feira, no Grand Palais, em Paris.

Durante mais de 40 anos, Yves Saint Laurent e o companheiro, Pierre Bergé, reuniram peças dignas de estarem expostas num museu. A colecção, estimada em 200 a 300 milhões de euros, vai a leilão pela Christie’s no início da semana. Os lucros revertem a favor de organizações de ajuda à luta contra a SIDA, uma causa que o casal sempre abraçou. Entre os 733 objectos, encontram-se duas esculturas que têm causado polémica. Pequim quer estas peças de volta, já que elas terão sido roubadas à China, há mais de um século. Pierre Bergé diz que está pronto a dar as esculturas, mas em troca pede a Pequim que “respeite os direitos humanos”. O vice-presidente da Christie’s diz que a leiloeira “respeita o sentimento do povo chinês” e que “comprende a sua posição2, mas que sob o direito internacional “não há razão para a venda não ir em frente”. A grande paixão de Saint Laurent pela arte levou-o a criar uma das colecções mais importantes do mundo, que contém obras de vários pintores, como um quadro de Picasso, estimado entre os 30 e 40 milhões de euros. Questionado sobre a razão pela qual colocou os objectos à venda, Pierre Bergé diz que depois da morte do estilista, aos 71 anos, a colecção “já não significa nada”.