Última hora

Última hora

Lágrimas e interrogações em Winnenden após massacre de 15 pessoas

Em leitura:

Lágrimas e interrogações em Winnenden após massacre de 15 pessoas

Tamanho do texto Aa Aa

A polícia alemã tenta apurar as motivações que levaram um adolescente armado a espalhar o terror, ontem, na cidade de Winnenden, no Sudoeste da Alemanha.

O jovem de dezassete anos matou 15 pessoas à queima-roupa, numa escola secundária e nas ruas da cidade, antes de se suicidar, cercado pela polícia. Um massacre iniciado às nove da manhã, quando Tim Kretschme,r armado com uma pistola “beretta” e vestido de preto, irrompeu em três salas de aula matando dez alunos e três professoras. A maioria das vítimas eram mulheres. Durante a fuga à polícia, o adolescente matou dois transeuntes ferindo dois agentes, antes de se suicidar. O antigo aluno do liceu local frequentava um clube de tiro da cidade. A arma do crime faria parte da colecção privada do pai, que poderá agora ser acusado de negligência. A acção foi condenada pela Chanceler alemã Angela Merkel que declarou esta quinta-feira dia de luto nacional. Em Winnenden, centenas de habitantes participaram numa missa e numa vigília de homenagem às vítimas. Uma das residentes afirma que, “ há que melhorar a seguranças nas escolas, por exemplo, trancar as portas após o início das aulas”. Seis anos após um massacre similar numa escola de Erefurt ter provocado quinze mortos, a Alemanha volta a interrogar-se sobre a segurança dos liceus e o controlo das armas no país.