Última hora

Última hora

Os ricos também estão mais pobres

Em leitura:

Os ricos também estão mais pobres

Tamanho do texto Aa Aa

Os multimilionários não faliram mas tornaram-se menos ricos com a crise. É a revelação da revista Forbes na edição dedicada à famosa lista das maiores fortunas do mundo.

E é Bill Gates quem retoma a liderança do exclusivissimo clube dos multimilionários. Apesar de ter perdido 14 mil milhões de euros com a crise, o fundador da Microsoft tem ainda qualquer coisa como 32 mil milhões de euros. Warren Buffet perde assim o primeiro lugar. A sua fortuna foi amputada de 19 mil milhões de euros. A sua companhia Berkshire Hathaway realizou em 2008 os piores resultados dos 44 anos de existência. O terceiro lugar é agora do magnata das telecomunicações mexicanas Carlos Slim, que também perdeu um lugar relativamente à classificação de 2008. No podium dos três mais ricos do planeta estão Bill Gates, Warren Buffet e Carlos Slim. As três maiores fortunas concentram-se no continente americano. Mas a crise atacou sobretudo o bolso dos ricos da Ásia e da Rússia e expulsou da lista da Forbes muitos nomes. A Rússia, com 87 multimilionários no ano passado era o segundo país de residência dos mais ricos. Em 2009, apenas 32 nomes russos constam da lista. Uma redução de dois terços. “É apenas a história de um país que se desmoronou e muitos dos jovens multimilionários construíram a sua própria fortuna e eram bastante mais jovens do que a média dos outros milionários. Correram muitos riscos, contraíram muitas dívidas. É uma área rica em matérias primas e foram bastante afectados com o preço das matérias primas como o petróleo e os metais”, diz a editora Luisa Kroll A crise financeira erradicou da lista também vários nomes da alta finança, como o ex-patrões da AIG, Maurice Greenberg e do Citigroup ,Sanford Weill. Mas, paradoxalmente, confirmou o domínio dos Estados Unidos em termos de fortunas, com Nova Iorque, com 55 nomes, a destronar Moscovo no estatuto de cidade com mais multimilionários.