Última hora

Em leitura:

Duas exposições em Serralves


le mag

Duas exposições em Serralves

Em parceria com

A Fundaçao de Serralves, no Porto, inaugurou a primeira das duas exposições previstas para este ano.

É de uma artista que transporta referências fortes da arte moderna, como Marcel Duchamps. Bethan Huws, nascida em 61, no País de Gales. Nesta exposição, chamada de “Fountain”. pode-se observar o trabalho de reconstrução de coisas e lugares que, aparentemente, tinham perdido o sentido. É a origem da arte moderna e das suas percepções, explicada pela artista: “É uma introdução para mim, uma espécie de compromisso, entre a história da arte e a arte contemporânea. E a vida espiritual do povo, mas em caminhos não especializados. Bom, é o que está no trabalho, ou que, pelo menos, eu tento” A segunda exposição patente na Fundação de Serralves tem também como curador Ulrich Loock. É dedicada ao pintor belga, Raoul De Keyser. Raoul de Keiser dominou as cores de água, em diferentes trabalhos, percorreu o figurativo depois de ter passado pela abstração. Voltou às coisas visíveis, fora do mundo. São dois artistas muito diferentes, como diz o curador: “Raoul de Keiser é um pintor que gosta da sensualidade, na pintura e no trabalho, etc. Bethan faz uma caminho diferente, talvez um caminho mais intelectual. É isso, a representação da diversidade mas com aproximações que é importante na nossa mostra aqui” Uma exposição de trabalhos de Bethan Huws e de tintas de água de Raoul de Keiser, para ver, na Fundação de Serralves, no Porto. No Guggenheim Museu de Bilbao pode ver-se uma exposição, intitulada, “Eu quero acreditar”. São trabalhos do artista chinês Cai Guo-Qiang. A arte multimédia, com uma conceptiualização complexa. Uma exposição que chega a Bilbao credenciada, pelo sucesso que obteve no Guggenhaim de Nova York. Tem mais um pregaminho. Foi a mais visitada, quando esteve no Museu Nacional de Arte de Pequin, onde integrou o programa cultural, das Olimpíadas de 2008. Um conjunto de obras que passa em revista os últimos 20 anos de criatividade de Cai Guo-Qiang.

Os nossos destaques

Artigo seguinte

le mag

Vílnius 2009: SOS Talents