Última hora

Última hora

Moção de censura ao governo checo

Em leitura:

Moção de censura ao governo checo

Tamanho do texto Aa Aa

Em plena presidência da União Europeia, o governo checo enfrenta uma nova moção de censura.

O parlamento vota, esta terça-feira, uma moção apresentada pelos social-democratas, mas o primeiro-ministro, Mirek Topolanek, diz-se confiante e pede aos deputados independentes que votem a seu favor, sublinhando que “uma moção de censura em tempo de crise seria irresponsável”. Na origem da moção está uma polémica nacional. Os social-democratas acusam um conselheiro do primeiro-ministro de ter feito pressão sobre a televisão pública para evitar a difusão de uma reportagem sobre um ex-deputado social democrata que actualmente apoia o governo. A coligação de centro-direita que governa o país conta com o apoio de 96 dos 200 deputados do parlamento; a oposição conta com 97. Ou seja, ambos os lados precisam de convencer os independentes para chegar aos 101 votos necessários a uma maioria. Esta é a quinta moção de censura ao governo de Topolanek.