Última hora

Última hora

3 militares no banco dos réus por negligência na identificação de cadáveres

Em leitura:

3 militares no banco dos réus por negligência na identificação de cadáveres

Tamanho do texto Aa Aa

Em Espanha, começou o julgamento de 3 militares acusados de negligência na identificação de cadáveres.

Em Maio de 2003, um acidente de aviação na Turquia custou a vida a 62 soldados espanhóis que regressavam de uma missão no Afeganistão. Com a pressa para rapidamente repatriar e enterrar as vítimas, 30 corpos foram mal identificados. Os 3 militares são acusados de falsificação de documentos. As acusações mais graves pesam sobre o general Vicente Navarro que, segundo o ministério público, terá atribuído arbitrariamente identidades aos cadáveres que não puderam ser identificados. Após a primeira audiência, o presidente da associação de vítimas do acidente mostrou-se insatisfeito pelos réus estarem a alegar em sua defesa não se lembrarem do que se passou, algo que para Miguel Sencianes, é uma “falta de respeito” pelos militares mortos. Para além do general Vicente Navarro, sentam-se no banco dos réus o comandante José Ramirez e o capitão Miguel Sáez. José Maria Aznar e Federico Trillo, primeiro-ministro e ministro da Defesa na altura não vão testemunhar em tribunal como pretendia a associação das vítimas.