Última hora

Última hora

Próximo chefe do Governo húngaro promete medidas austeras face à crise

Em leitura:

Próximo chefe do Governo húngaro promete medidas austeras face à crise

Tamanho do texto Aa Aa

O recém designado primeiro-ministro da Hungria prometeu “sangue e lágrimas” mas também resultados para salvar o país da crise económica.

Gordon Bajnai, um economista de 41 anos saído do mundo dos negócios, disse que o programa do seu Governo “vai dar frutos”, mas avisou que as reformas vão ser duras e exigem sacrifícios. Ministro da Economia do executivo cessante, Bajnai sucede a Ferenc Gyurcsany, que anunciou a demissão a 21 de Março. Gyurcsany dirigia há um ano um Governo socialista minoritário, depois de os liberais terem abandonado a coligação. O fim do executivo foi decretado após o fracasso em aprovar o plano de relançamento da economia húngara, uma das mais afectadas pela crise financeira na Europa de Leste. Bajnai mostrou-se particularmente preocupado com o nível de endividamento da população em euros e francos suíços, num contexto de desvalorização do florim, a moeda nacional.