Última hora

Última hora

UE não quer horário de trabalho para camionistas independentes

Em leitura:

UE não quer horário de trabalho para camionistas independentes

Tamanho do texto Aa Aa

Os camionistas independentes não devem estar sujeitos a uma limitação do tempo de trabalho semanal. Esta é a posição da maioria dos ministros dos Transportes da União.

Uma posição que deixa antever um braço-de-ferro com o Parlamento Europeu, que volta a tratar o tema em Maio, na última sessão plenária antes das eleições europeias. No princípio do mês, os camionistas por conta de outrem tinham-se manifestado contra a proposta de liberalização do tempo de trabalho dos independentes. Uma opinião que encontrou eco no Parlamento. De facto, os eurodeputados são favoráveis a um limite máximo de 48 horas de trabalho para todos os camionistas. Os ministros, por seu lado, estimam que cada vez mais camionistas fundam a sua própria micro-empresa, para evitarem o desemprego. Por isso, devem ter a liberdade de estabelecer o seu próprio horário de trabalho. No entanto, os ministros defendem que os “falsos independentes” – que, na prática, trabalham regularmente para um único “cliente”, como se fosse um patrão – tenham as mesmas obrigações e os mesmos direitos que os camionistas empregados. Durante o conselho de ministros desta segunda-feira, os Vinte e Sete não chegaram, contudo, a nenhum acordo sobre a imposição ou não de uma eurovinheta ambiental. Em época de crise, países como Portugal, Espanha ou Grécia, por exemplo, receiam sofrer, ainda mais, as consequências da sua localização geográfica periférica.